ESPAÇO EM MOVIMENTO

Projecto: Juliana Campos (São Paulo, BR, 1995)
Mecanismo e programação: Mariana Vilanova (Porto, 1996) e Pedro Teixeira
Som: Sofia Neves (Póvoa de Varzim, 1994), Mariana Vilanova e Francisca Soares (Porto,1996)
Iluminação: Francisca Soares e Juliana Campos
Material: Tecido (2 x 2,8/9m + 1 x 1,4/9m), corda (36m), perfil metálico (4 x 3x3 cm + 3 x 1,5x1,5cm), arduino uno (x2), controlador (x2), motor passo a passo (x3). Dimensões aproximadas: 3m x 8m x 14m

Ao cinema cabe a imagem em movimento, que aparece e desaparece, numa cadência exaustiva que ultrapassa o olhar e propõe o movimento. Um movimento contínuo, tão natural como o de caminhar. O espaço em movimento é o cinema marginal: o que se lê nas margens. Trata-se de um espaço cinemático que apaga a tela a liberta o seu movimento; um espaço onde o espectador se desloca para construir e desconstruir a percepção do que o rodeia.

Neste trabalho, o tempo, o som, a luz e o plano, matérias elementares do cinema, são introduzidos num espaço de circulação. As relações invertem-se: é o plano que se move, mais lentamente do que quem o observa ao percorrer o espaço. Esse movimento pode ser imperceptível para um observador apressado, mas cada momento é irrepetível e, após algum tempo, o espaço transforma-se.

© 2020 Curtas Vila do Conde