My Diary,Playing in the Forest!, 2002

My Diary,Playing in the Forest!, 2002

Nasceu em Lisboa em 1966. Artista plástico de formação, comissário de exposições e produtor de projectos culturais. Fundador e membro da direcção da PLANO 21. associação cultural. Apresenta o seu trabalho individualmente e em colectivo desde o início da década de 90, podendo-se destacar as exposições: Imagens para os anos 90 (1993, Fundação de Serralves e Culturgest), Do it yourself – Faça voçê mesmo (1993, Galeria Quadrum), Made in Portugal – Visite o Ambiente Modelo (1993, Galeria Graça Fonseca), Espectáculo, Exílio, Deriva, Disseminação: Um Projecto em torno de Guy Debord (1995, Metalúrgica Alentejana), Lisboa Fora de Horas (1995, instalações numa casa particular em Lisboa), Peninsulares (1995, Galeria Antoni Estrany, Barcelona), Greenhouse Display (1996, Estufa Fria), Mais do que ver (1996, 3.ª Jornadas de Arte Contemporânea do Porto, Moagens Harmonia), X-Rated (1997, Galeria ZDB), II Bienal de Famalicão - Em Torno de Camilo (1997 / Fundação Cupertino Miranda), Index 3 (1998 / Galeria João Graça), O Império Contra Ataca (1998 / Galeria ZDB e Capella de L’Antic Hospital de la Santa Creu, Barcelona), Sensibilidade Apocalíptica (1999, Festival Atlântico, Galeria ZDB), Karaoke Life Project / #2 Kaleidoscope Frenzy (1999, Galeria João Graça), Quartel / Arte Trabalho Revolução (1999, Intervenções em diversos locais da cidade do Porto), Mistura + Confronto (2001, Central Eléctrica do Freixo), Veneer / Folheado (2003, Catalyst Arts, Belfast), Como si nada, Colección Juan Redón (2003, Fundació Foto Colectania, Barcelona), Coimbra C, (2003, CAPC), Proximidades e Acessos: Obras da Colecção de Ivo Martins (2004, Culturgest – Porto), Schizolife Systems (2004, CAPC), Penthouse – Uma Ocupação Temporária (2005 / Intervenções numa casa particular no Porto), Casa Portuguesa, Modelos Globais para Casas Locais (2005, Cordoaria Nacional), Portuguese Screen Videoart Showcase (2005, Video Art Festival LOOP’05, Palau Robert e Galeria Llucià Homs, Barcelona e Museu do Chiado). Comissariou entre outros projectos: Heaven, Inc. (1995, CAPC), Zapping Ecstasy (1996, CAPC), Anatomias Contemporâneas (1997, Hangar K7 Oeiras), (A)casos (&) materiais (1998-99, CAPC), Plano XXI/ Portuguese Contemporary Art. Cinema & Music (2000, Glasgow), Urbanlab.Bienal da Maia_2001 (2001, Maia), 321 M2, Trabalhos de uma colecção particular (2001, CAPC), Projectos W.C. Container e In.Transit (1999 a 2006, Edifício Artes em Partes) e Projecto Terminal (2005 / Hangar K7 Oeiras). Para além do carácter performativo de alguns dos seus projectos apresentou no âmbito da programação do Porto 2001 a instalação/performance Copy.Paste (concepção conjunta com João Galante) e em 2002 a performance On-Off (projecto conjunto com António Olaio) concebida para os Encontros Imediatos no âmbito da programação das Danças na Cidade em Lisboa. Ainda com António Olaio em 2004 concebeu e interpretou a performance Ken I be Matisse? apresentada no Grande Auditório do Museu de Arte Contemporânea de Serralves a convite do Teatro Nacional de S. João/TECA no âmbito da programação Serralves em Festa que comemorou o quinto aniversário da abertura do Museu. Concebeu em 2004 a cenografia para a peça de teatro O Despertar da Primavera de Frank Wedekind, apresentada no TECA (Teatro Carlos Alberto/TNSJ, Porto) com encenação de Nuno Cardoso, trabalho de cenografia e adereços em colaboração com F. Ribeiro. O projecto transdisciplinar Off.Site foi apresentado em 2004 integrado na programação do I.A. – Arte em Campo no Hangar K7 da Fundição de Oeiras. O seu trabalho encontra-se representado em diversas colecções privadas e públicas como a Fundação de Serralves ou o Museo Extremeño e Iberoamericano de Arte Contemporáneo (MEIAC) em Espanha.

© 2020 Curtas Vila do Conde