ANTOLOGIA DO BOM COMPORTAMENTO

() o mundo tudo aquilo com que experimentamos at fractura. Peter Sloterdijk 1
A prtica da interferncia, a dinmica da fractura e da desordem constituem na obra de Paulo Mendes uma das orientaes emblemticas. a prpria esfera do exerccio da sabotagem que advm horizonte referencial do seu projecto, aquando da sua primeira mostra individual, h dez anos, na Galeria Zero. Nessa ocasio realiza The Conversation (1992), pea que adquire um valor simblico por nela se evidenciarem as caractersticas e qualidades transgressivas que norteiam os princpios do seu mtodo de trabalho. A pea, atravs do conjunto formado por uma mesa e pela relao incoincidente de duas cadeiras, desafia a possvel sensao de harmonia reinante, colocando em destaque a ideia de antagonismo e de impossibilidade dialgica. Para a caracterizao deste ambiente conflituoso e para desestabilizar ainda mais a imagem de uma possvel convivncia pacfica entre os dois interlocutores, concorria ainda a natureza do registo sonoro que ecoava por todo o espao da instalao. Tratava-se de uma composio de Stockhausen produzida por receptores de onda curta, cuja estrutura conceptual baseada nos valores da aleatoriedade e dissonncia vinha reforar o sentido de disrupo comunicativa. () Um evidente desejo de mobilizar o debate e estabelecer um relacionamento empenhado entre a actividade artstica e a sociedade civil patente tambm nas obras que analisam as repercusses decorrentes de certos acontecimentos da actualidade portuguesa e mundial. Refira-se neste sentido o tratamento conferido problematizao das relaes de fora e aos conflitos blicos mundiais (American Way of Death, 1995 e Ultimate Warrior Iraque, 1995), evocao da territorializao, do fenmeno da emigrao e precria existncia dos trabalhadores imigrantes (Index 3, projecto conjunto com Miguel Leal e Fernando Jos Pereira, 1998) e Morphing Mosh (Transglobalimmigration)/House #1/T3 Emigrante, 2001), e ainda tematizao dos atentados do 11 de Setembro (The Sky is Still Blue/The Creator Says Infinite Justice, 2001 e The Sky is Still Blue/Part 2/Sleeping Beauty (Bacillus Anthracis), 2001). representativa dessa procura de estabelecer nos projectos um envolvimento consistente com o real a forma como Paulo Mendes integra nestes trabalhos o valor concreto e documental de vdeos e registos flmicos e televisivos, de jornais e revistas de grande circulao, bem como a relevncia cultural e popular de objectos triviais ou ldicos.2 Esse procedimento transmite um efeito procurado de relativa impessoalidade em detrimento das caractersticas mais expressivas do fazer artstico, e parece radicar-se na inteno de consubstanciar a preponderncia contextual de toda a iniciativa artstica. Refira-se a esse ttulo Timr Loro Sae Enterrados Vivos Trabalho em Progresso (1996), onde atravs de um levantamento documental exaustivo sobre a Resistncia Timorense e sobre diversas realidades do panorama poltico do territrio, o autor retratava a situao problemtica que se vivia no presente (). Sendo embora possvel detectar em toda a obra de Paulo Mendes um apelo de cariz utpico, centrado na postura crtica e autocrtica que tende a consagrar a autenticidade e o empenho mobilizador do artista no seio da sociedade,3 de igual modo importa referir os pressupostos pragmticos em que assentou desde cedo a sua prtica artstica. Assim, ele revelou uma permanente preocupao terica ao nvel do entendimento das mltiplas possibilidades de actuao interventiva e no descurou o estabelecimento de uma convergncia com respeito apropriao das estratgias mediticas da sociedade de consumo.4 Isso visvel, designadamente nos trabalhos5 em que Paulo Mendes se socorre das imagens da publicidade e da aplicao da noo de arte como mercadoria, por forma a reverter a seu favor a eficcia comunicacional e persuasiva que as caracteriza. O que nunca apenas um investimento no papel e na carga promocional que lhe so reconhecidas, mas uma deslocao intencional do seu sentido e lugar. Ou seja, trata-se, no envolvimento peculiar e sempre imprevisto que marca a sua arte, de as enredar num criticismo que atinge e desestabiliza a sua prpria filosofia. Sandra Vieira Excertos do texto Antologia do bom comportamento publicado na monografia Paulo Mendes / the best of...Vogue, edio Mimesis, Porto, 2002 1 Peter Sloterdijk, Ensaio sobre a intoxicao voluntria. Um dilogo com Carlos Oliveira, Lisboa, Fenda, 1999, p. 11. 2 De acordo com estas referncias, cabe mencionar a particular ateno que dedicou ao trabalho de Jason Rhoades, John Miller, Mike Kelley, Sigmar Polke, Paul McCarthy, Richard Prince e do Group Material. 3 Exemplos paradigmticos de uma exigncia baseada na responsabilidade tica do artista so O Artista est a morrer (1995) e Vanitas - Retrato da Minha Gerao (1990/1999-2000), onde atravs de um pdio construdo por paletes de uso industrial faz meno a uma convivncia entre os pares baseada em valores de individualismo e de competitividade institudos. 4 Refira-se a este propsito Anotaes sobre como se deve jogar xadrez, um texto do artista publicado na revista Confidncias para o exlio (n 1, Maro 1994, pp. 7-19), em que surgem abordadas estas questes. 5 o caso dos projectos Do it Yourself Faa Voc Mesmo (1993), O Processo (1994), Heaven Inc. (1995), Paisagem Econmica Urbana (1997), Morphing Mosh (Transglobalimmigration)/House # 1/T3 Emigrante (2001), e das obras Made In Portugal Visite o Ambiente Modelo (Laboratrio de Biologia Molecular com livro de Guy Debord A Sociedade do Espectculo e tela quadrada de cor laranja) (1993) e LArt Passe Par Tout (Wallpaper) (1998).

© 2020 Curtas Vila do Conde